Skip to main content

Cidades baratas, bons destinos de intercâmbio para escolher

Não tem jeito, pensar em intercâmbio é pensar em dinheiro. Organizar-se financeiramente é passo crucial na hora de arrumar as malas e partir rumo a aventuras em terras estrangeiras. Acontece que isso não precisa ser um sofrimento, existem lugares interessantes e baratos. Basta pesquisar.

Como mencionado no post anterior (clique aqui para ler), a Economist Intelligence Unit da revista The Economist realizou uma pesquisa com mais de 140 cidades de 93 países e definiu os lugares mais caros e mais baratos para se viver.

No ranking Worlwide Cost of Living nem todas as cidades que constam entre as baratas são aconselháveis. A quarta cidade mais barata, por exemplo, é Damasco na Síria, país que enfrenta um conflito armado interno preocupante.

Por outro lado, a primeira e a terceira posição são ocupadas por Mumbai e Nova Déli na Índia, país de grandes contradições sociais, mas de cultura fascinante. E não é a toa que as cidades indianas ocupam tais posições. Para os brasileiros, a vantagem é absurda. A moeda oficial da Índia é a rupia indiana e R$1 equivale a INR$23,77.

Além disso, os preços indianos em comparação a capitais brasileiras são muito baixos. Produtos de mercado, roupas, aluguel, contas básicas, tudo chega a ser até 70% mais barato lá do que aqui.

Bucareste, na Romênia e Cidade do Panamá, no Panamá também aparecem entre os dez destinos mais baratos. O leu romeno (RON$) custa R$0,73. O idioma não facilita as coisas, mas a compensação está nos preços e na beleza do país. A Romênia tem IDH elevado, baixo nível de desemprego e belas feiras artesanais.

O Panamá está mais perto. Localizado na América Central, o país utiliza o dólar americano como moeda. Com paisagens tropicais e litoral extenso, tem o espanhol como idioma oficial embora sua cultura seja bastante influenciada pela norte-americana. Para quem gosta de temperaturas altas (em média 27 ºC), de clima praiano e poucos gastos, já sabe aonde ir.